A razao pela qual os métodos de gestao de portfolio de aplicacoes e sistemas nao se encaixam mais na realidade empresarial actual

(Antuérpia, Bélgica) Escrevo-vos da cidade onde o conceito de logística foi reinventado ao longo do tempo, para falar sobre a gestao de portfolio de sistemas e requisitos de software e como os métodos mais tradicionais nao se coadunam com a realidade actual.

A gestao de portfólio de aplicacoes e até de componentes gira em torno da otimização de recursos e ajuste frequente ao feedback do mercado e dos utilizadores, refletindo a aceitação dos produtos e a incerteza do contextual geral.

Neste alinhamento permanente, uma das principais questões é: como melhor distribuir o orçamento pelo portfolio?

Os problemas que à partida a abordagem tradicional permite identificar sao:

1. Não se consideram todas as variáveis e a imprevisibilidade do contexto

  • Orçamento
  • Dimensao e natureza de todos os produtos/projetos
  • Prioridades particulares e estratégicas de negócios ou de produtos
  • Disponibilidade de recursos
  • Mudança de executivos e estratégias de gestão
  • Iniciativa ou resposta da concorrencia, entre outras variáveis que nao se podem prever ou conter.

2. O processo tradicional é longo e pesado

Normalmente no planeamento tradicional comeca com um ano de antecedencia. Recolhem-se ideias, e tomam-se decisoes baseadas em business cases, cheios de suposiçõese premissas. Um business case não é o método certo para selecionar idéias ou projetos, dado o elevado nivel de incerteza factual e julgamentos de valor pessoais, opinioes individuais de quem está envolvido no desenvolvimento do business case e tem interesse pessoal em faze-lo acontecer ou nao.

Um bom business case requer esforço e tempo para ser criado e o mesmo se aplica para analisar o resultado:

  • Recolher dados;
  • Criar/modificar o modelo de business case
  • Fazer suposições
  • Criar e justificar o modelo de negócio, no lado das receitas (aumenta a receita do projeto, economia de custos do projeto) e do lado dos custos.
  • Preparar a análise final e recomendacoes.

Se o esforço para criar o business case é muito grande, podem ser encontradas formas de atalhar o processo para a sua aprovação mais rapida. A seleção de projetos, com base em business cases gera desperdício: há um investimento de esforço para justificar ideias que, uma vez priorizadas, não terão espaço no orçamento ou tempo possível.

Então, como devemos resolver este dilema? Recomendo-lhe o post:

Gestao de portfólio: como podemos recolher e atribuir prioridade a todos os requisitos – Uma abordagem LEAN e Agile para o problema




Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.