Os benefícios de praticar Kanban durante a transformação Agile

(Udawalawe National Park, Sri Lanka) Há alguns dias atrás estive num jipe para 8 passageiros, mais 2 assentos contando com o motorista, com a suspensão mais alta do que o habitual, o típico Jeep de Safari. Note-se que um elefante indiano selvagem pode ser mais alto do que este veiculo… Incrível… Se o elefante estiver distraído ou ocupado e nós não nao o irritarmos, ele não nos presta qualquer atenção. Mas se estiver assustado ou nervoso, pode ser muito agressivo. Viver esta cena fez-me comparar a transformacao Agile e a reacao de algumas pessoas em grandes empresas com elefantes assustados que podem ficar agressivos.

Comecei a escrever este post há 4 dias atrás, quando vi, pela primeira vez na minha vida, elefantes selvagens no seu habitat natural. São animais enormes! Fiquei a pensar que as grandes empresas atuam como grandes elefantes relativamente à mudança, reagem muito lentamente, sao pesadas, e muitas vezes nem aceitam a transformação Agile.

Comecar a transformacao Agile com a prática de Kanban em grandes empresas, semelhantes a grandes “elefantes” pode ser uma alternativa a considerar. O Kanban, com sua abordagem evolutiva, pode trazer muito pragmatismo e resultados rápidos para se perceber a eficiencia dos métodos Agile.

A cena que observei dos elefantes lutando, fez-me pensar sobre as reações de grandes corporações, de resistencia à transformação Agile: susto, medo, resistência, contorno dos valores básicos do Agile ou até mesmo o desenvolvimento de sentimentos negativos para com os agilistas.

Comecar a transformacao Agile introduzindo Kanban pode ser um ponto de partida interessante pois tem uma abordagem integracionista, a partir da realidade atual e dos processos em vigor, não se observa a introducao de novas funcoes específicas ou grandes mudanças na estrutura implantada.

A prática de Kanban requer alguém com funções semelhantes às de um gerente de produto, com a tarefa de entender as necessidades e expectativas do cliente, ordenar as tarefas por relevância para o objetivo final, e planeamento da reunião de reabastecimento.  Esta é a funcao do Service Request Manager. No lado contrário temos a função do Service Delivery Manager, exatamente como os nomes o dizem, responsáveis pela entrega ao cliente.

Outro aspecto onde Kanban pode ser bem aceite, prende-se com a regular cadência da entrega, funciona em um fluxo contínuo onde se a equipe decide que tem valor para entregar, simplesmente organiza um novo deployment de uma nova release.

Normalmente isto satisfaz o Product Owner, também resolve problemas urgentes e crítico que afetam os clientes ou uma resposta urgente para o mercado (concorrência).

Assim, o Kanban não é apenas uma abordagem evolutiva, mas também aceita e integra mudanças com menos discussões.

Alguns autores falam sobre modelos híbridos, onde as equipes adotam algumas práticas de 2 métodos ágeis, como Scrum e Kanban (“scrumban”).

Outros autores defendem que o Kanban não é Agile. Para eles, Kanban pode ser usado como um “cavalo de Tróia”, que simplesmente organiza um fluxo de trabalho e entrega,  trazendo transparência sobre onde estamos no projeto. O Kanban não implica uma mudança de valores, mas apenas seguir um processo de trabalho para atingir uma meta com base em pontos de alinhamento regulares, e suporte em activos visuais como o Kanban board. Assim sendo, o Kanban não é Agile pois nao reflecte os valores Agile, não toca cultura ou mentalidade individuais.

Devemos considerar que muitas organizações simplesmente não estão prontas para mudar a mentalidade ou cultura dos funcionários, e o custo para aplicar o Scrum pode ser mais alto do que simplesmente usar o Kanban para tentar educá-los, primeiro na prática ágil e depois, talvez, em valores ágeis.  Portanto, cuidado com os elefantes nervosos 🙂




Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.